Sábado, 3 de Setembro de 2011

Passos Coelho e Paulo Portas tinham uma solução para o problema das contas públicas em Portugal radicalmente diferente da solução do PS: era possível resolver o problema "sem mais sacrifícios" para as pessoas e sem "pôr o país a pão e água". Tudo se resolveria cortando atacando a adiposidade do Estado nos "custos intermédios" - que se tornaram tão famosos quanto misteriosos, mas até eram quantificados.

 

Isto era antes das eleições. Neste intermezzo, foram-se tornando cada vez menos famosos e o mistério sobre a definição e localização de "custos intermédios", pelos vistos, começa a resolver-se.



publicado por Miguel Cabrita às 15:54 | link do post | comentar

andré salgado

miguel cabrita

paula mascarenhas

correio.da.vida@gmail.com

Ligações
arquivos

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

tags

aborto; psd

arbitragem

assunção cristas

benfica

catroga

cavaco silva

cds

concertação social

contradições

cortes

crescimento económico

crise

despesa pública

direitos dos animais

economia

eleições francesas

enriquecimento ilícito

estruturalismo

fcp

futebol

grécia

hollande

iva

labour

merkel

milliband

música

ocde

passos coelho

paulo portas

pcp; jerónimo de sousa

portugals

psd

relvas

sporting

tsu; psd; segurança social

ue

uk

vitor gaspar; schauble; conversa privada

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds